sábado, 7 de outubro de 2017

O compromisso da notícia com a defesa dos direitos dos animais


A causa dos animais requer reflexão e debate para conseguir evoluir. É necessário saber interagir com as pessoas que ainda desconhecem os seus valores e princípios. As notícias devem ser divulgadas com o intuito de buscar solução para os problemas, jamais com sensacionalismo, banalizando a violência, às vezes até indiretamente incentivando. 

Para enfrentar a questão dos maus-tratos é necessário maior engajamento e a ampliação da consciência dos profissionais da imprensa. A imprensa não pode criar na sociedade o sentimento pessimista de achar que a situação dos animais está cada vez pior. É preciso oferecer informações sobre ações, projetos e políticas sérias em prol do bem estar dos animais, ressaltando sempre os bons exemplos. Contribuindo, assim, para a conscientização, além de estimular o intercâmbio, através do diálogo entre as pessoas, facilitando a compreensão sobre a importância da defesa do direito dos animais”.

A defesa do direito dos animais exige conscientização através da educação, se transformando no melhor caminho para ampliar a luta contra as crueldades. É preciso intensificar a qualidade da formação dos profissionais de imprensa e o compromisso em valorizar os animais na sociedade.

Os formadores de opinião precisam pensar num mundo prático para cultivar toda a teoria transformadora nas relações entre os animais e os humanos, colaborando na construção de uma consciência crítica, combatendo as mazelas que vivemos no cenário atual.

A informação precisa reafirmar os verdadeiros valores e posicionamentos, de uma maneira consciente, para fortalecer a luta diária frente aos desafios que temos para impedir que os animais sejam expostos as situações degradantes.

A abordagem necessita ser apresentada de uma maneira clara e objetiva, através de profissionais que conseguem dar um enfoque construtivo. Normalmente, a pauta que envolve a defesa dos direito dos animais é mantida apenas enquanto o problema permanece visível, não dando a mesma ênfase às soluções e medidas de correção do problema. A notícia é feita superficialmente e com um grande apelo sensacionalista.

É fundamental ter a frente do relato, profissionais especializados para propiciar a divulgação correta dos fatos que envolvem os animais, sendo capaz de formar através de seu trabalho uma legião de multiplicadores e educadores em busca de uma vida cada vez mais digna para os animais.

Infelizmente existem pessoas que em nome de defender os animais, acabam gerando uma grande confusão na cabeça do público com os quais se relaciona. Associam as crueldades sofridas pelos animais a pedidos de doação, dando origem a perigosa “indústria da esmola”, que não permite que a causa dos animais evolua e acaba transformando esta ideologia numa causa sem solução e credibilidade.

O engajamento do formador de opinião é que dará o sentido correto para a matéria. Uma notícia deve mostrar o problema enfrentado pelo animal e o que poderia ter sido feito para evitar os maus-tratos. Jamais deverá ser demonstrado que a impunidade imperou, pois isto enfraquece o processo de conscientização em prol dos animais.

O trabalho dos jornalistas competentes e idealistas, compromissados com a ética serão cada vez mais valorizados. Através deles, será possível conquistar mentes e sensibilizar corações, estimulando a cidadania, a prática de uma postura ética no relacionamento com os animais será a diretriz.

A partir do momento, que as mentes forem mudadas, de maneira a estabelecer uma nova visão, todos saíram ganhando, os veículos de imprensa terão sua missão fortalecida e a crueldade será combatida.



Fonte: Vininha F. Carvalho

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Iniciativa visa promover ações positivas em favor dos animais


Para que cada vez mais pessoas se envolvam com a causa dos animais, no dia 4 de outubro, será comemorado pelo 17º ano consecutivo o Dia Nacional de Adotar um Animal. Esta campanha educativa visa promover ações positivas em favor dos animais. Existem muitos animais domésticos abandonados à espera da oportunidade de serem adotados. 

Nesta data, também, será realizada uma mobilização ressaltando a importância da posse responsável e da esterilização, como uma maneira de garantirmos aos animais uma condição digna de vida, através de eventos que deverão ser realizados em várias cidades do Brasil.

Como idealizadora desta iniciativa, com alegria, estou recebendo diariamente o comunicado de pessoas dispostas a somarem esforços, oferecendo para doar seu tempo, seja para realizar palestras, ou mesmo, para conscientizar seus vizinhos. Outras pessoas oferecem suas habilidades, talento e energia positiva para ajudar a realizar algumas tarefas criativas que reforçam o trabalho de conscientização.

Doar ações pode parecer algo simples, mas é uma colaboração muito valiosa, um sentimento nobre que o dinheiro jamais conseguiria adquirir. Doar ação resulta em reciprocidade. A generosidade se reverte em alegria e satisfação, surgindo os laços sinceros de amizade.

Doar o tempo, nem sempre é fácil, podendo requerer até certo grau de sacrifício pessoal, mas representa uma oportunidade de investir no bem estar dos animais, onde a maior felicidade está em oferecer o melhor de si, não em apenas oferecer esmolas.

Todo incentivo à adoção responsável, abordando sua importância, tanto no que diz respeito ao animal, quanto aos benefícios que trazem aos humanos merecem ser amplamente divulgados. O relato de bons exemplos favorecerá para que surjam novas adoções bem sucedidas.


Como participar:

- Divulgando esta proposta para os amigos, nas escolas, nas igrejas, nas empresas, enfim ecoando no coração das pessoas.

- Através de cartazes confeccionados com muito carinho e criatividade, a pessoa poderá divulgar em vários locais públicos, clinicas veterinárias e pet shops.

- Cada aliado que se disponha ajudar será sempre uma grande conquista e aumentará a possibilidade de diminuirmos o número de animais abandonados.

- As entidades poderão realizar eventos de manifestação de apoio e assim, fortalecer a sua participação neste processo de valorização e respeito ao animal na sociedade, demonstrando alto grau de civilidade.


Website: http://www.adotarebomdemais.com.br



Fonte: Vininha F. Carvalho

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Mitos e verdades sobre os pássaros



O primeiro grande mito é achar que um pássaro, seja qual for à circunstância, sabe se virar sozinho. Não é bem assim, pássaros nascidos em cativeiro não sobrevivem na natureza, filhotes caídos de um ninho também não, pássaros que tem seus membros enrolados ou até cortados por linhas de pipa com cerol precisam ser salvos.

Segundo Ieda Corbucci Scalisse, artista plástica, fotografa e amante dos pássaros, Beija-flores e Cambacicas morrem pelas mãos das pessoas bem intencionadas, quando querendo ajudar, colocam aquelas garrafinhas com açúcar nas varandas e, infelizmente se esquecem de limpá-las diariamentre, provocando a morte da ave por ingestão de água contaminada.

Dicas para ajudar os pássaros:

- Nunca compre nenhum pássaro ilegal (sem a aneleira fechada do IBAMA), por mais que você fique com dó, não compre, ao invés de comprar, denuncie quem está vendendo!

- Passe adiante a ideia que nenhum pássaro traz sorte, azar, virilidade ou qualquer coisa do gênero. Pássaros são apenas pássaros.

- Retirem de sua casa todas as linhas de pipa que ficarem enroladas nas antenas, árvores, e arbustos, evitando que os pássaros fiquem enroscados e debatendo-se até morrer.

- Não compre fantasias, enfeites, brincos, cocares que se utilizem de penas. Só assim vamos desestimular a matança indiscriminada de aves.

Se puder ofereça em seu quintal, colocando em um local alto, onde gatos e ratos não alcancem um comedouro. Os alimentos podem ser sementes diversas, frutas frescas, farelo de pão e quirera, assim você conseguirá atrair inúmeros pássaros em seu quintal. Com certeza em poucos dias você terá Rolinhas, Sabiás, Sanhaços, Bem-te-vis e muitos outros.


- Plante flores ou coloque vasos no quintal que contenham néctar, assim você atrairá Beija-flores, Cambacicas e muitos outros pássaros nectarívoros.

- Pense não duas vezes, mas mil vezes antes de comprar um Psitacídeo de grande porte (Araras, Papagaios, Cacatuas, etc.), pois ele tem alto custo de manutenção e vivem mais de 50 anos. Comprar um psitacídeo de grande porte é para toda a vida ou talvez até para seus sucessores. Um papagaio sofre mais que um cachorro sendo separado de seu dono.

- Se você ver algum estabelecimento que venda estilingue denuncie, pois estilingues são ilegais e são feitos para machucar ou matar aves. Não aceite isso.

- Se tiver alguma área verde plante arvores frutífero tipo amoreira, pitangueira, elas irão alimentar inúmeros pássaros que cantarão alegremente em seu jardim.

Certamente quase todos sabem que cque comprar papagaios, canários da terra, trinca-ferros, curiós, pássaros pretos, corrupião e qualquer pássaro da fauna nacional são proibidos. Uma boa opção é o canário do reino, que canta mais e mais bonito que qualquer outra ave e podem ser facilmente adquiridos, sem que haja nenhum problema, pois eles são pássaros de cativeiro.

Calopsitas substituem papagaios maravilhosamente, pois são aves legalizadas, alegres, facilmente domesticáveis, menores, mais baratas, de baixa manutenção e além de tudo os machos cantam esplendidamente.


Papagaios são as maiores vítimas do tráfico de aves. Vendidos a um baixo custo e tirados em grande quantidade da natureza, viajam em caixas espremidas dentro de caminhões sem alimentação durante 12, 15 horas. Poucos resistem, mas, para quem trás, se restar apenas um ou dois já será lucro.

Papagaios são monogâmicos e não toleram esta troca de ambiente. Muitos começam um doloroso e horrível processo de mutilação, arrancando suas próprias penas, desenvolvendo doenças, entristecendo, às vezes se automutilando e até morrendo.

Sem contar, que muitas pessoas são mal informadas e dão alimentação absolutamente incorreta, aos papagaios, oferece apenas girassol e restos de comida. O que não poderia ser pior, esta alimentação vai reduzir a vida do papagaio que viveria cerca de 50 anos para de cinco a sete anos.

Ieda Corbucci Scalisse, alerta, não comprem pássaros ilegais, nunca! "Não vamos colaborar com o fim das espécies, vamos assegurar que as futuras gerações possam apreciar este espetáculo da natureza que são as aves brasileiras".



Fonte :Vininha F.Carvalho

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Brasil ganha primeiro cachorro sintético para aulas de veterinária que elimina sacrifício animal


O curso de medicina veterinária da Faculdade das Américas (FAM) é o primeiro no Brasil a utilizar modelo canino sintético para aulas de anatomia, fornecido com exclusividade pela empresa brasileira Csanmek, especializada em sistemas e soluções para o mercado educacional. A aquisição segue a tendência mundial de eliminar o sacrifício e o uso de animais em salas de aula.

Chamado de Syndaver Canine, o cachorro sintético será utilizado para simulações cirúrgicas e treinamentos de habilidades. O modelo é desenvolvido com textura e densidade similares às estruturas anatômicas reais e contém todos os sistemas e órgãos do corpo canino, permitindo a realização de cirurgias, dissecações, entubações e demais procedimentos veterinários.

O cachorro sintético integra o sistema multidisciplinar da FAM para o ensino da veterinária e será utilizado junto com a Plataforma 3D de simulações de anatomia, desenvolvida pela Csanmek. O equipamento funciona como uma mesa que exibe modelos tridimensionais altamente detalhados e anatomicamente corretos de todos os sistemas do corpo canino, que permite aos alunos realizar dissecações virtuais e ter acesso a locais que dificilmente teriam em um cadáver real.

O simulador 3D utilizado na FAM possui ainda uma ferramenta de integração entre hospitais e salas de aula e oferece aos alunos a possibilidade de estudar casos clínicos e exames reais de animais, pois permite que os professores convertam tomografias e ressonâncias magnéticas em 3D, com acesso total e irrestrito a anatomia real.

“Todos os anos, milhares de animais são sacrificados para o ensino. Essa tecnologia foi desenvolvida para reduzir esses números e modificar esse cenário, pois o simulador cirúrgico permite que os alunos utilizem um modelo realístico com todos os sistemas e órgãos na mesma coloração e densidade do real”, comenta Claudio Santana, fundador da Csanmek Tecnologia.

“Apesar de ser um equipamento para educação, a plataforma 3D também é utilizada por médicos e profissionais da saúde no dia a dia, para melhorar o aprendizado e compreensão das estruturas anatômicas reais e modeladas, e, junto com o Syndaver Canine, formou-se o cenário ideal", conclui Santana.

- Sobre a Csanmek :

A CSANMEK é uma empresa brasileira que surgiu com a missão de ser referência em novas tecnologias de simulação, para auxiliar as técnicas educacionais no uso das metodologias ativas. Desenvolve ferramentas e projetos educacionais para suporte aos docentes e discentes, visando melhor qualificação para futuros profissionais das diversas áreas da saúde. Com dois anos no mercado, a empresa atua no desenvolvimento de soluções para atender as necessidades das instituições de ensino, trazendo sempre o que há de melhor no mercado mundial.



Fonte: Leda Sangiorgio