quarta-feira, 29 de julho de 2015

Pets idosos x pets filhotes: como cuidar?

                    

Antes de decidir ter um pet, é muito importante levar em conta as fases da vida deste animal. Afinal, aquele filhote brincalhão e peludinho um dia ficará velhinho e necessitará de cuidados especiais. Por esse motivo, os veterinários da Stetic Dogs selecionaram algumas dicas de cuidados para quem acaba de adquirir um filhote e para aqueles que já estão com um animalzinho em idade avançada.
         
                                                         
 - Filhotes:

O filhote de cão deve iniciar suas vacinas a partir dos 42 dias de idade (deve estar há pelo menos 10 dias sem mamar leite materno). A primeira dose tomada será da vacina V10, que deve ser reforçada com mais duas doses, de 21 em 21 dias (é importante não exceder 30 dias entre uma e outra). Também são aplicadas duas doses de Bordetella (gripe dos cães) e a Giardia, que ajuda a diminuir a infestação pelo protozoário do mesmo nome. 

Nos gatos, são aplicadas duas doses da vacina quíntupla, também com intervalo de 21 dias e, no máximo, 30 dias. A partir dos três meses de idade, tanto nos cães como nos gatos, deve ser administrada a vacina contra a raiva. Todas devem ser repetidas de ano em ano e os passeios devem ocorrer somente 10 dias após a última vacina.

É importante oferecer ração específica para filhotes, pois ela é formulada para suprir as necessidades do pet em crescimento, com mais proteína e calorias. Os filhotes de cães devem comer várias vezes ao dia (até cinco vezes), após os sete meses, duas vezes ao dia é suficiente. Para os gatos, pode-se deixar comida à disposição o dia todo.

Os banhos nos cães podem ser semanais ou, dependendo do ambiente, mensais. Já os gatos podem demorar mais, chegando há meses.

Para quem quer adestrar o pet, a partir dos três meses já se pode iniciar um treino leve e ir gradualmente aumentando o ritmo.
      
             
- Idosos:

Para os pets idosos, o bom senso do dono vale muito para detectar alterações que possam ocorrer. Avaliar o espaço aonde o animal vive, evitar escadas, chão liso, subir e descer em sofás, exercícios demasiados e não compatíveis com a idade são fundamentais.

A artrose é uma realidade a partir dos 10 anos, deve-se ficar atento para dificuldades em se levantar, correr e brincar. Além disso, existem patologias silenciosas, como insuficiência renal, insuficiência cardíaca, diabetes e tumores, que são mais frequentes em pets idosos e podem ser diagnosticados com exames bioquímicos e de imagens. Por esse motivo, consultas e exames periódicos são importantíssimos.

A partir dos sete anos de idade deve-se passar a oferecer uma ração sênior, que tem menos proteína e ajuda a proteger os rins e tem menos calorias, evitando sobrepeso. Os passeios devem ser menos intensos e compatíveis com a condição física. 

Além das orientações acima, tome muito cuidado ao introduzir um novo pet na casa, pois isso pode forçar muito o sistema cardiorrespiratório durante as brincadeiras e piorar a artrose.

Fonte: Mariana S Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário